Rejane Soares e a representatividade da mulher negra na moda

Designer nortista fala sobre a moda amapaense



Dona da marca Zwanga, Rejane Soares teve a infância marcada pelo preconceito, a marca Zwanga significa o que é aquilo que lhe pertence! Ou seja, pertencimento histórico das mulheres negras que fazem moda e quase não são notadas por viverem em um mundo dito padrão.


"Como mulher negra eu sei o quanto é necessário ter estratégias como essa, nossa arma contra racismo e machismo é o nosso conhecimento!”.

Rejane conta que o empurrão para o sucesso da marca veio depois de tanta dor e preconceito, “Cresci com isso, com esse incomodo em lutar pelo meu sonho. Até que um dia larguei tudo e fui atrás do meu objetivo. Eu queria vestir corpos reais. O mais importante é que não se trata apenas de vestir, mas de ouvir, observar, sentir, compreender e entender que a moda também traz um propósito de vida”, afirmou.


Porém, fazer moda em estados que carregam a cultura de desvalorizar produtos artesanais acabam sendo a sua maior adversidade, “A produção autoral, artesanal e em pequena escala, agora que com muita luta vem entrando no gosto de alguns que buscam identidade própria, a pandemia foi um desafio daqueles que você não espera e precisa se reinventar na marra. Zwanga busca resgatar a identidade e a autoestima das mulheres negras e mulheres que sabem a importância de compreender nossa história real”, destaca Rejane.



Texto: Pollyana Matias

O que achou da notícia?




12 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo